JESUÍTAS E GUARANIS FACE AOS IMPÉRIOS COLONIAIS IBÉRICOS NO RIO DA PRATA

Rejane da Silveira Several

Resumo


O presente estudo faz uma interpretação a respeito de alguns aspectos referentes à Guerra Guaranítica. Dela participaram uma milícia Guarani e o exército aliado luso-espanhol. O confronto surge a partir de um acordo, firmado entre as duas nações ibéricas que estipulavam o abandono dos índios Guarani dos territórios que compreendiam os Sete Povos da Banda Oriental do rio Uruguai, em favor da ocupação do respectivo espaço pelos portugueses. Neste estudo, tenta-se esclarecer a origem das disputas dos territórios da região do Rio da Prata entre as nações ibéricas, suas esferas de interesses e a maneira como as autoridades tentaram minimizar esse conflito, até chegarem a um grande impasse. Exigindo que se fizesse uma divisão mais precisa desses territórios até então submetidos a um constante clima de tensão. A seguir, tenta-se esclarecer o contexto histórico no qual se insere o Tratado de Madri e suas estipulações, bem como a repercussão que esse acordo obteve nas Missões e na Europa, onde foi idealizado. E, finalmente, demonstra-se, através da correspondência da época, as relações entre os interesses luso-espanhóis, jesuítas e guaranis relativos ao acordo de Madri.

Palavras-chave


Jesuítas; Guaranis; Rio da Prata colonial; Guerra Guaranítica; Jesuits, Guaranis; Guarani Wars

Texto completo:

PDF


 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia