Avaliações no currículo do primeiro ano do Ensino Fundamental: governo de professores/as e alunos/as e implementação do dispositivo de antecipação da alfabetização

  • Maria Carolina da Silva Caldeira Centro Pedagógico da Escola de Educação Básica e Profissional da UFMG
  • Marlucy Alves Paraíso Faculdade de Educação da UFMG

Resumo

Por meio de uma pesquisa que utilizou técnicas etnográficas articuladas à análise de discurso de inspiração foucaultiana, este artigo analisa os efeitos de avaliações em um currículo de uma turma de primeiro ano do Ensino Fundamental e mostra a lógica avaliativa em ação no currículo, que faz a avaliação assumir três formas: 1) avaliação para acompanhar a aprendizagem das crianças; 2) avaliação dos comportamentos infantis; 3) avaliações sistêmicas. Os resultados apontam que esses três modos de avaliar, com suas diferentes estratégias e práticas, conduzem os mais diferentes raciocínios no currículo investigado. A conclusão é de que são instituidas relações de poder-saber, governando alunos/as e docentes e auxiliando na implementação e operacionalização do dispositivo de antecipação da alfabetização.   Palavras-chave: Currículo. Avaliação. Alfabetização.

Biografia do Autor

Maria Carolina da Silva Caldeira, Centro Pedagógico da Escola de Educação Básica e Profissional da UFMG
Professora do Centro Pedagógico da Escola de Educação Básica e Profissional da UFMG.Doutoranda em Educação pela Faculdade de Educação da UFMG.Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Currículo e culturas (GECC/FaE/UFMG)
Marlucy Alves Paraíso, Faculdade de Educação da UFMG
Professora Associada do Departamento de Administração Escolar e do Programa de Pós-graduação em Educação da Faculdade de Educação da UFMG; Fundadora e atual coordenadora do GECC: Grupo de Estudos e Pesquisas em Currículos e Culturas da UFMG e Pesquisadora Produtividade 1D do CNPQ. 
Publicado
2017-03-21
Seção
Dossiê: Políticas de Avaliação e Currículo