As práticas docentes e o Currículo de Geografia no Estado do Rio de Janeiro

  • Clézio dos Santos Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Resumo

O artigo analisa como os focos bimestrais presentes no Currículo Mínimo (CM) de Geografia para o Estado do Rio de Janeiro influenciam e são influenciados pela abordagem conceitual da disciplina escolar Geografia no Colégio Estadual Eng. Carlos Frederico de Arêa Leão, localizado no Bairro da Posse, Município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A metodologia utilizada é a qualitativa, utilizando o referencial teórico da área, destacando-se as contribuições de Pontuschka; Paganelli e Cacete (2007), Santos (2013), Farias (2013, 2014), Caso e Gurevich (2014). A coleta de dados envolveu entrevistas com os professores de Geografia que atuam no estabelecimento pesquisado. Como resultado principal, apresentamos uma análise centrada nas diferentes práticas docentes abordadas numa perspectiva reflexiva e contextualizada. Assim, foi possível evidenciar a relação teoria-prática dos docentes por meio de práticas disciplinares e interdisciplinares no cotidiano escolar. Conclui-se que a criação de sistemas educacionais compactos para atender, muitas vezes, apenas às necessidades políticas de governos, deixa de fora considerações e constatações de décadas de discussão acadêmica e as próprias necessidades locais, além de influenciar diretamente na prática docente e na efetivação do currículo.   Palavras-chave: Currículo de geografia. Ensino de Geografia. Rio de Janeiro.

Biografia do Autor

Clézio dos Santos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)
Prof. Adjunto III do Departamento de Educação e Sociedade (DES) do Instituto Multidisciplinar (IM) da Universidade Federal Rural do Rio Janeiro (UFRRJ), do Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGEO/UFRRJ) e pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Ensino de Geografia (GEPEG/UFRRJ/CNPq).
Publicado
2017-04-08