Políticas de avaliação em larga escala: o ENADE interfere na gestão dos cursos?

  • Silvia Regina Canan Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI)
  • Vanessa Taís Eloy Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI)

Resumo

O presente trabalho analisa como os gestores (coordenadores) dos cursos de graduação avaliam o ENADE enquanto política de avaliação em larga escala e de que estratégias de gestão lançam mão para melhorar a avaliação dos cursos. Os sujeitos da pesquisa foram os coordenadores de curso da URI - Campus de Frederico Westphalen/RS. No processo de investigação utilizou-se a abordagem qualitativa. A partir dos referenciais teóricos e da coleta e análise dos dados, chegou-se a algumas conclusões provisórias: a. grande parcela dos coordenadores entrevistados está buscando novas possibilidades para qualificar os cursos, contudo, ainda são tentativas isoladas e muito subjetivas; b. a preocupação com resultados quantitativos é muito forte, sobrepondo-se aos processos qualitativos; c. o ENADE, como avaliação em larga escala, não está conseguindo desencadear um processo profundo de discussão teórica, pois é trabalhado pela grande maioria dos cursos um semestre antes de realizarem o exame.   Palavras-chave: Universidade e avaliação. Avaliação em larga escala. ENADE.
Publicado
2017-03-21
Seção
Dossiê: Políticas de Avaliação e Currículo