Políticas de currículo e avaliação para a docência no espaço Iberoamericano

  • Rosanne Evangelista Dias Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Resumo

A docência tem assumido centralidade nos discursos Iberoamericanos para a educação básica, de modo a atribuir, privilegiadamente, ao trabalho docente a garantia do êxito escolar dos discentes e, consequentemente, o alcance da qualidade da educação. A partir de tais discursos, textos políticos vêm defendendo a produção de políticas de avaliação na tentativa de controlar os currículos da formação (inicial e continuada) e a atuação docente. Neste artigo, orientado teórico-metodologicamente pela Teoria do Discurso de Ernesto Laclau e Chantal Mouffe analiso os processos de articulação discursiva presentes nos textos da Organização dos Estados Iberoamericanos - OEI e da UNESCO, destacando o significante desempenho como foco da avaliação. Na análise dos discursos para a avaliação da formação e do trabalho docente estabelecida como meta para a região Iberoamericana, tendo como foco o desempenho profissional, as competências assumem importância como modelo de organização curricular. Concluo que as tentativas de controle sobre a comunidade profissional docente na sua formação e trabalho projetam novos papéis para o professor marcados pela responsabilização.   Palavras-chave: Políticas de currículo. Avaliação. Docência.
Publicado
2017-03-21
Seção
Dossiê: Políticas de Avaliação e Currículo