Da competência no fazer à responsabilização no agir: ética e pesquisa em Ciências Humanas

  • Luciano Santos Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Resumo

Este artigo se propõe discutir a relação entre ciência e ética com destaque para a dimensão ética implicada na pesquisa científica. Trata-se de uma investigação de cunho qualitativo baseada em pesquisa bibliográfica. O referencial teórico parte de uma exposição histórico-conceitual da ciência moderna, mostrando as problemáticas consequências de seu totalitarismo epistemológico que sobrepõem as competências no fazer (techné) à responsabilização no agir (práxis). Em seguida, define o conceito de ética e apresenta os níveis: ética de normas, de princípios e de relação, mostrando seus respectivos graus de profundidade do ponto de vista do sentido do humano que lhes subjaz. Por fim, apresenta, de modo sumário, o processo do qual resulta a constituição dos Comitês de Ética na Pesquisa (CEP). Os resultados demonstram a possibilidade de questionar a pertinência epistemológica da regulamentação de pesquisas científicas das áreas de Ciências Humanas e Sociais por um Comitê regido por paradigmas das áreas biomédicas. Conclui-se, portanto, pela premência de uma nova organização dos Comitês de Ética em Pesquisa a partir da especificidade epistemológica das áreas dos projetos submetidos a sua regulamentação.   Palavras-chave: Ciência. Técnica. Pesquisa. Ética. Ciências Humanas.
Publicado
2017-04-08
Seção
Seção Temática: A ética na pesquisa em Ciências Humanas e Sociais: continuando o debate