O ESTADO NAS MARGENS E AS MARGENS DO ESTADO: AÇÕES POLÍTICAS PARA MENINOS EM CONDIÇÃO DE RUA USUÁRIOS DE CRACK. Doi: 10.5212/PublicatioCi.Soc.v.21i2.0004

  • Beatriz Brandão PUC-RIO
Palavras-chave: Biopolítica, Meninos de Rua, Usuários de crack

Resumo

O universo dos meninos em situação de rua e usuários de crack revela-se como um eixo fundamental no âmbito das políticas públicas. Nesse cenário, há um hiato entre a ação política e o que se refere à assistência e ao cuidado desses meninos, em que o desnivelamento é verificável em duas vertentes antagônicas nas políticas sociais: o da inclusão e o da repressão. A inclusão se insere na abordagem dada pelos Direitos Humanos, enquanto a repressão abarca atitudes de contenção e punição. Esse trabalho atua na perspectiva de aprofundar o conhecimento acerca das estratégias de enfrentamento dessa problemática, por meio da análise teórica de como se dá a atuação do Estado em um ponto que se encontra na margem social.

Biografia do Autor

Beatriz Brandão, PUC-RIO
Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais da PUC-Rio. Mestre em Ciências Sociais pelo Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPCIS/UERJ). Integrou a pesquisa sobre juventude, vulnerabilidade e inserção social em Roma, por meio do Intercâmbio entre UERJ - Tor Vergata e CREG - Centro di Ricerche Economiche e Giuridiche. Possui Pós Graduação/ Especialização em Políticas Públicas pela Escola de Políticas Públicas e Governo do Instituto de Pesquisa do Rio de Janeiro (EPPG/IUPERJ) e graduação em Comunicação Social - Jornalismo pelo UNIPLI. Tem como interesse o estudo em antropologia e sociologia urbana, juventude, meninos de rua, Direitos Humanos, cidades e favelas.
Publicado
2013-12-19
Seção
Condição de Pobreza e Estratégias de Desenvolvimento