OTIMIZAÇÃO E APLICAÇÃO DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE INTRÍNSECA DOS AQUÍFEROS À POLUIÇÃO

Palavras-chave: artigo

Resumo

O objetivo deste trabalho foi otimizar o método de obtenção do índice de vulnerabilidade intrínseca dos aquíferos à poluição (IVIAP) conferindo à variável infiltração e recarga a combinação matricial entre os intervalos de declividade e a densidade relativa de cobertura vegetal. Além da coleta de dados hidrolitológicos das unidades aquíferas, o Sistema de Informações Geográficas (SIG) foi empregado para mapeamento de 34 nascentes, compilação de dados do nível freático de poços tubulares e correção de imagens de satélite e de radar de média-alta resoluções espaciais. Identificou-se o IVIAP como um método alternativo, simples e eficaz na qualificação das vulnerabilidades à poluição de aquíferos, principalmente em regiões onde há carência de informações hidrológicas.

Biografia do Autor

Alesson Pires Maciel Guirra, Universidade Federal dos Vales Jequitinhonha e Mucuri, UFVJM, Diamantina, MG
Engenheiro Geólogo (UFOP. 2015), Mestre em Geografia com ênfase em Geotecnologias Aplicadas à Gestão e Análise Ambiental (UFMT, 2017), Doutorando em Tecnologias Ambientais (atual)
Helen Rezende de Figueiredo, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (2006). , Mestrado em Biotecnologia pela Universidade Católica Dom Bosco - UCDB, Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Doenças Infecciosas e Parasitárias da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS. Atuando principalmente nos seguintes temas: Leishmaniose, flebotomíneos, epidemiologia, geoprocessamento.
Patrícia Karina Barbosa Ereio, Universidade Federal de Mato Grosso, Rondonópolis, MT
Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Mato Grosso - Rondonópolis (2007), especialista em Educação Ambiental pela UFMT/CUR (2009) e mestrado em Geotecnologias aplicadas em Análise e Gestão Ambiental - Geografia, pela Universidade Federal de Mato Grosso (2017). Professora efetiva da rede Estadual de Educação de Mato Grosso. Atualmente atuando como Educadora Ambiental no Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis - MT - SANEAR.
Publicado
2019-12-18
Seção
Dossiê Cidades Médias de Hoje e do Futuro v.II - artigos