(RE)LENDO GÊNEROS, SEXUALIDADES E ESTADO NORMATIVO EM PELO MALO

  • Claudia Mayer UFSC
Palavras-chave: cuír, decolonial, América Latina, heteronormatividade, racismo

Resumo

Pensar o cuír decolonial como projeto epistemológico na América Latina nos permite abordar uma gama crescente de questões urgentes acerca dos gêneros e sexualidades, que impactam fortemente as experiências não - e antinormativas, especialmente em contextos nacionais historicamente controlados por estados normativos. Neste trabalho, apresento uma análise da relação entre o estado normativo e a experiência da sexualidade dissidente no filme venezuelano Pelo Malo (2013), dirigido por Mariana Rondón. Para isso, fundamento minha análise na proposta de decolonização epistemológica constituída nos trabalhos de Gloria Anzaldúa, Walter Mignolo e Aníbal Quijano. Busco, através dessa análise, construir uma crítica à normatividade do Estado como é representado no filme para assim contribuir com o fortalecimento dos projetos de libertação epistemológica do Sul Global frente aos violentos avanços neoliberais.

Biografia do Autor

Claudia Mayer, UFSC
Doutora em Estudos Literários e Culturais pela Universidade Federal de Santa Catarina. Co-coordenadora do Grupo de Pesquisa e Extensão Perspectivas Queer em Debate (PPGI/UFSC – Cnpq). Editora voluntária e integrante do conselho editorial da Editora Monstro dos Mares.
Publicado
2018-11-20