Nosso Caos, Nosso Cosmos: Notas sobre a Memória e a Cultura LGBT Brasileira

  • Remom Matheus Bortolozzi USP - Universidade de São Paulo
  • Felipe Areda Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Memória LGBT, Cultura LGBT, Decolonial

Resumo

A partir das reflexões e angústias que percorrem nosso esforço empreendido na constituição de um acervo voltado para preservação, salvaguarda e instigação historiográfica da arte, memória e cultura LGBT brasileiras, esse artigo buscar tecer, ao modo de notas ensaísticas, reflexões sobre o conceito de cultura LGBT e sua ligação com o projeto político de criação de uma memória comunitária. Para esse escopo, retomaremos um arcabouço conceitual produzido por pensadoras LGBT que podem contribuir com a formação de um vocabulário de reflexão de nossa comunidade – tais como os conceitos de eu plural de Leila Miccolis, de cosmos e ethernidade de Zé Celso, de luto em Anderson Herzer, além de pensadoras estrangeiras como Susan Sontag, com a noção de sensibilidade, e de David M. Halperin, com suas investigações sobre cultura e subcultura gay e categoria gênero.

Biografia do Autor

Remom Matheus Bortolozzi, USP - Universidade de São Paulo
Doutorando em Medicina Preventiva (USP), Mestre em Educação (UNB), Especialista em Gênero e Sexualidade (UERJ) e graduado em Psicologia (UFPR). Email: remombortolozzi@gmail.com 
Felipe Areda, Universidade Federal de Santa Catarina
Mestrando em Literatura (UFSC), Bacharel em Antropologia (UNB) e Licenciado em Ciências Sociais (UnB). Email:felipeareda@gmail.com
Publicado
2018-11-20